MP vai apurar falta de merenda em Valença

Situação só não é pior porque funcionários levam de casa

O Ministério Público foi acionado para investigar a falta de merenda na rede municipal de ensino de Valença, que, embora a Prefeitura receba regularmente os recursos do governo federal para a compra dos gêneros alimentícios, continua desabastecida. A denúncia contra o prefeito Álvaro Cabral e a secretária de Educação, Tânia Maria Machado Pinto, foi protocolada pelo vereador Luiz Antônio Rocha de Assumpção. De acordo com o documento, creches, unidades de educação infantil e escolas de ensino fundamental continuam sem merenda, o que coloca em risco o desenvolvimento das crianças. Para o vereador “a administração municipal tem se mostrado absolutamente omissa”.

Embora a secretária de Educação tenha afirmado que o problema seria resolvido, em algumas escolas os alunos só conseguem se alimentar, por conta do comprometimento de professores e funcionários de apoio, que levam de casa aquilo que a Prefeitura tem deixado faltar. Um exemplo disso é dado pela merendeira Inês do Carmo Romeiro Barbosa, que trabalha na Escola Municipal Professora Regina Coeli Amorim. Nessa unidade há um mês não é feita a entrega de alimentos. Na despensa não tem arroz, óleo e sal. “Nunca ficou uma situação como esta. Eu estou há 23 anos na Prefeitura e nós nunca enfrentamos um ano igual a esse”, conta Inês, que ajuda como pode, tirando do próprio bolso.

Dirigente do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), Danilo Serafim diz que desde agosto a situação vem sendo denunciada. “Para nós, é inadmissível que uma criança tenha que ser liberada da integralidade da creche porque não tem leite. É inadmissível que o estudante da rede municipal tenha em seu cardápio do dia abóbora com abóbora”, afirmou.

Os esforços do governo municipal para minimizar o problema são derrubados pela realidade verificada no dia a dia. Até o final da semana passada a Escola Municipalizada Deputado Luiz Pinto não contava com nenhum alimento em sua despensa. Segundo o pai de uma aluna, Rafael Sineiro, a situação só não é pior graças aos professores, que levam insumos de higiene e alimentação, mesma situação é constatada na escola e na creche do bairro Cambota. Na semana passada, a creche recebeu apenas leite, e a Escola Municipal Maria Ielpo Capobianco só macarrão. 

Comentários:

  1. Bom dia. O assunto aqui é a falta de merenda nas escolas municipais de Valença. O elizeupires.com não publica comentários fora do assunto em pauta. Obrigado pela compreensão.

Deixe uma resposta para Moderador Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.