Rolim deixa déficit de quase R$ 45 milhões em Belford Roxo

Contas do ex-prefeito foram reprovadas pelo Tribunal de Contas

No último ano de mandato o então prefeito de Belford Roxo, Alcides Rolim (PT), andou metendo os pés pelas mãos e o resultado foi um déficit financeiro de exatos R$ 44.941.461,22. A constatação foi feita pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), que emitiu parecer prévio contrário à aprovação das contas de administração financeira do município de Belford Roxo, referentes ao exercício de 2012. O conselheiro José Gomes Graciosa, relator do processo, apontou cinco irregularidades e 15 impropriedades. O parecer será encaminhado nos próximos dias para apreciação da Câmara de Vereadores.

De acordo com o relator, a insuficiência de recursos em caixa fere Lei de Responsabilidade Fiscal, que proíbe que nos dois últimos quadrimestres do final de mandato os gestores contraiam despesas que não possam pagas dentro do ano. Os prefeitos também não podem deixar dívidas a serem pagas no exercício seguinte sem deixar dinheiro em caixa para honrar os compromissos.  Ainda segundo o relator, Rolim fez repasses à Câmara Municipal superior ao limite de limite de 5%, equivalente a R$ 669.701,84, estipulado para o município. Ele fez ainda despesas no total de R$ 6.066.239,33 sem autorização para isso e gastou R$ 17.703.851,15 sem fazer o registro contábil.

Consta do processo que Rolim incluiu no cálculo dos gastos com Educação em 2012 despesas de anos anteriores, chegando a R$ 6.470.297,23. O processo apontou ainda uma diferença de R$ 1.142.301,87 entre o saldo da movimentação dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), no valor de R$ 625.710,76 em relação ao saldo financeiro conciliado, no montante de R$ 1.768.012,63, além de outras irregularidades com o mesmo recurso.

Comentários:

  1. Acesso ao FUNDEB ainda os profissionais de educação não tem, até mesmo nesta atual gestão. O dinheiro vêm com um proposito e é mal gasto com superfaturamento de quinquilharias. Dennis está gastando a rodo co encontros, seminários e palestras regadas a muito salgadinhos e refrigerantes, mas não se enganem professores o salário ainda é baixo, o auxilio transporte de 78 reais não cobre nem a passagem modal diária e as condições de trabalho precárias. Ocorre constantemente a dança das cadeiras uma sub secretária sai outra entra, mas o Ideb continua caído, a qualidade do ensino inferior. Acúmulo de 3 matriculas em todos os nives até de chefe de setor que deveria coibir. Haja hipocrisia.Dobras ajudando a engordar o porquinho de servidores que além de matrícula ativa ainda tem aposentadoria é o cúmulo da ganância. Enquanto tem concursado de 20012 esperando ser chamado para efetivar sua primeira matrícula. É a lei da “FARINHA POUCA, MEU PIRÃO PRIMEIRO”

Deixe uma resposta para Luci Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.