Governo do PT meteu as mãos nos cofres em Macabu

Esquema de fraude pode ter desviado mais de R$ 20 milhões

Uma verdadeira quadrilha estava atuando no município de Conceição de Macabu, que desde o dia 1º de janeiro de 2009, vinha sendo governado pela petista Lídia Mercedes de Oliveira a Tedi, afastada do cargo no mês passado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Depois de seis meses de investigação a Polícia Federal descobriu um esquema que só no setor de Educação provocou o desvio de cerca de R$ 4 mi- lhões. Esse montante, segundo o novo prefeito, Clau- dio Linhares, é pequeno em relação ao rombo esti- mado em mais de R$ 20 milhões, considerando a atuação dos criminosos em outros setores. “Estou buscando documentos e não consigo encontrá-los, porque ninguém sabe onde eles estão. Foram des- viados R$ 4 milhões apenas na Educação, mas os desvios nesse setor são os menores. Aqui na cidade tem empresários com cinco empresas que concorrem às licitações entre elas mesmas. O esquema é muito maior”, disse o prefeito, que ontem pediu ao Tribunal de Contas para fazer uma auditoria em todos os processos de licitação e nos pagamentos feitos pela ex-prefeita. Tedi e alguns membros de sua equipe de governo deverão responder por associação criminosa, fraudes em licitações, falsidade ideológica, peculato e constrangimento legal.

O esquema das licitações fraudulentas veio à tona na madrugada da última quarta-feira, com a “Operação Ave de Fogo”, deflagrada pela Polícia Federal, depois de investigações de denúncias de desvio de verbas federais repassadas ao município pelo Ministério da Educação. De acordo com a PF, o esquema montado dentro Prefeitura favorecia empresas fantasmas criadas só para disputarem as licitações para fornecimento de merenda escolar e fazer o transporte dos alunos da rede municipal de ensino. Segundo o delegado Júlio Ribeiro, as empresas forneciam notas fiscais falsas e essas eram usadas pela Prefeitura para justificar o gasto dessas verbas.

Durante a operação a PF cumpriu quinze mandados de busca e apreensão, dois de prisão e 10 de condução coercitiva (levando investigados para prestar depoimentos e liberando depois). Segundo a Polícia Federal, duas das empresas fantasmas foram criadas por Robson Gabriel da Silva Barbosa de Moraes, filho do secretário de Serviços Públicos Robson Barbosa de Moraes. Essas empresas, explicou o delegado Júlio Ribeiro – que apreendeu disquetes, cds, documentos e processos de licitação montados para contratar empresas – foram registradas em nomes de “laranjas”, possivelmente parentes. 

Comentários:

  1. Esse pessoal do Pt é um perigo, uma ameaça à coisa pública, mas conta com um grande apoio popular. A impressão que se tem é que se for petista pode roubar a vontade. Os mensaleiros estão aí para confirmar. Foram condenados pelo maior esquema de corrupção da história do Brasil e são taxados de heróis pelos petistas. Cadeia para eles todos.

Deixe uma resposta para Macabuense Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.