Prefeito de Valença destina verba para reformar ponte inexistente

Orçamento cheio de erros emperra na Câmara de Vereadores 

O prefeito de Valença, Álvaro Cabral (PRB), decidiu que este ano vai cobrir a cabeça e descobrir os pés, destinando, proporcio- nalmente, mais verbas para o seu gabinete que para a Secretaria de Obras, por exemplo. Pelo menos é dessa forma que um grupo de vereadores está vendo o Plano Plurianual e Lei Orçamentária Anual, que preveem os gastos da administração municipal. O orçamento de 2014 era para ter sido votado no último dia 6, mas só será levado ao plenário nessa quarta-feira. O grupo aponta incoerências e se recusa a aprovar a proposta do jeito que ela foi encaminhada.

O grupo aponta que no projeto não foram incluídas verbas necessárias para atendimento em saúde em diversas localidades do município e destina R$ 10 milhões ao gabinete do prefeito, onde as despesas teorica- mente são menores e programa apenas R$ 24 milhões para a Secretaria de Obras e Planejamento Urbano.

De acordo com o vereador Marcelo Moreira de Oliveira, o Marcelo do Didi, representante da localidade de Santa Isabel, há uma série de desinformações relacionadas à localidade. Entre os erros por ele apontados está o orçamento para reforma da Ponte do Campo. “No meu entendimento, só é feito reforma quando há o que reformar. No caso, nós não temos a ponte há cinco anos”, destacou.

Marcelo apontou a indicação de recursos para pagar o serviço de limpeza urbana, executados pela empresa Própria, que fatura mais de R$ 700 mil mensais. Ele pontua ainda a destinação de verba para serviços que deveriam ser feitos pela Cedae, que, segundo ele, não cumpre com o dever de tratar e distribuir água à Valença.

O parlamentar lembrou de uma carta aberta do atual prefeito com promessas de campanha para o distrito de Santa Isabel, que contou com pouquíssimas indicações de verbas do PPA para a localidade. Além das incoerências de informações, existem termos financeiros complexos em um dos anexos, o que dificulta a análise dos vereadores.

O elizeupires.com teve acesso à documentação do PPA e constatou que inúmeros erros de informação, bem como a não inclusão de planos de verbas para diversos setores em carência. A insuficiência de recursos para algumas secretarias é evidente se comparadas ao orçamento de R$ 10.058.712,79 milhões, previsto ao gabinete municipal para os quatro anos de mandato de Álvaro Cabral. Outra incoerência do chefe do Executivo é que, com a atual crise de falta de materiais básicos e remédios em todas as unidades de saúde do município, o Plano previu orçamento para apenas algumas unidades de bairros e distritos valencianos, esquecendo-se da maior parte. 

Comentários:

Deixe uma resposta para Anônimo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.