O futuro de presente para Casimiro de Abreu

Zona de Negócios vai gerar cerca de cinco mil empregos diretos e outros tantos indiretos. São mais de três milhões de metros quadrados com completa infraestrutura

O futuro dos jovens de Casimiro de Abreu, ao que tudo indica, será bem melhor que o presente do seus pais. Eles – talvez já a partir de 2016 – não precisarão deixar a cidade em busca de trabalho, pois um amplo mercado está sendo preparado bem próximo deles. Os que cursam universidade nos municípios vizinhos e os que estão aprendendo uma profissão nos cursos oferecidos através da Secretaria de Trabalho e Renda vão ter, a poucos minutos do centro da cidade, um polo industrial com capacidade para 90 empresas e condições de gerar pelo menos cinco mil empregos diretos e outros tantos indiretos. É a Zona Especial de Negócios (ZEN), três vezes maior que a de Rio das Ostras, que opera hoje com 29 empresas.

O projeto, que vai livrar o município da dependência dos royalties do petróleo, anuncia o prefeito Antonio Marcos Lemos será implantado numa área de mais de três milhões de metros quadrados, na localidade de Lontra, nas margens da BR-101. As obras de preparação da área deverão começar ainda nesse primeiro semestre e os empresários interessados já podem fazer um pré-cadastro na Secretaria Municipal de Fazenda. “Será a autonomia financeira de nossa cidade. Vamos oferecer a área com completa infraestrutura para as empresas que firmarem com o município o compromisso de gerar aqui emprego e renda. Estamos apenas esperando concluir a desapropriação da área, o que acontecerá assim que recebermos o laudo para podermos efetuar o pagamento. Cumprida essa etapa estaremos enviando à Câmara de Vereadores o projeto de lei que instituirá a Zona Especial de Negócios de Casimiro de Abreu”, afirmou o prefeito.

Enquanto a desapropriação não é concluída, três secretarias trabalham no projeto. A do Meio Ambiente cuida do licenciamento, a de Obras da infraestrutura e a de Fazenda da legalização e do planejamento. O objetivo é mesmo o de remir Casimiro de Abreu da dependência da compensação financeira paga pela Petrobrás. “Os royalties representam muito para o nosso município, a ponto de nos ajudar a prepara a cidade para o futuro. Temos consciência de que o petróleo é finito e a cidade não. Por isso temos de pensar desse jeito e nos preparar para que o município esteja bem financeiramente falando para não sofrer quando os royalties não mais existirem”, concluiu Antonio Marcos, esclarecendo que atualmente 60% do orçamento da Prefeitura são oriundos dos royalties do petróleo.

Desapropriada por decreto emitido em novembro do ano passado, a área da futura Zona Especial de Negócios tem exatamente 3.201.882,50 metros quadrados, equivalente a 66 alqueires geométricos. Mais que impulsionar a economia em todo o município, esse projeto ambicioso vai agregar ainda mais as famílias pelo fato de que ninguém precisará deixar a cidade para ganhar a vida. De acordo com o prefeito, a localização escolhida é estratégica e facilitará bastante a conquista de boas empresas para o município.  Ainda segundo o prefeito, o modelo a ser implantado terá como sustentação um comitê gestor profissional, preocupação com o desenvolvimento e com os mais modernos conceitos de sustentabilidade, constituído para análise de empresas que atuam no setor de petróleo (offshore), serviços e logística. “Estamos procurando conhecer modelos de ZEN pelo país, interagindo com os gestores, visando qualificar nossas decisões”, finalizou Antonio Marcos.

Comentários:

  1. Casimiro de Abreu avançou muito nos últimos cinco anos. Moro na Tijuca, no Rio e tenho casa em Barra de São João. Sei muito bem do que estou falando. Esse prefeito é o melhor que essa cidade já teve.

Deixe um comentário para Casimirense Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.