Maricá faz concurso para “apadrinhados”

Processo seletivo só aprovou profissionais conhecidos do governo

O Ministério Público deverá receber, ainda esta semana, pedido de investigação sobre um estranho processo seletivo realizado pela Secretaria de Assistência Social de Maricá, para contratar assistentes sociais e psicólogos. O concurso está sendo visto como um “jogo de cartas marcadas”, uma vez que apenas os profissionais com contratos precários já vencidos, foram classificados para ocuparem as funções. Segundo a lista dos aprovados no concurso simplificado para contratações temporárias, dos 30 primeiros classificados para o cargo de assistente social, 20 são ex-contratados e os outros 10 teriam afinidades com membros do governo municipal e, e do 31º ao 40º colocados, limite de convocações definidas no edital, também teriam ligação com pessoas do governo e vereadores. Fora do número de vagas ficaram os que residem em outras cidades, um total de 93 candidatos, chamados de “estrangeiros” pelos membros do governo.

A denúncia que será encaminhada ao MP chama a atenção por uma estranha coincidência nos números de inscrição dos aprovados, distribuídos com base na ordem de chegada dos candidatos. Os inscritos com os números 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 10; 55, 56, 57 e 58; 105, 106, 108 e 109 estão entre os 30 primeiros convocados, o que sugere que estariam em grupo ou são no mínimo conhecidas, uma vez que trabalhavam juntas como contratadas na Secretaria Municipal de Assistência Social.

A denúncia aponta ainda que, no dia da prova de redação, 28 de abril, “o comentário era de que somente os inscritos que haviam sido demitidos anteriormente por término de contrato é que seriam aprovados”. A denúncia diz ainda que, depois da prova de redação, “já do lado de fora do Centro Educacional Municipal Joana Benedicta Rangel, ouviu-se relatos de que os servidores da secretaria que monitoravam os candidatos trataram os mesmos com desdém e piadinhas” e que, “curiosamente alguns candidatos, em várias salas, entregaram a folha de redação com apenas 20 minutos do seu início enquanto outros demoraram até 3 horas para terminá-la”.

O processo simplificado, de acordo com a secretaria, foi feito para selecionar 80 profissionais para preencher 45 vagas imediatamente (25 assistentes sociais e 20 psicólogos) e formar um cadastro de reserva com 35 nomes. Do processo, informa a secretaria, participaram “cerca de 200 candidatos”.

Comentários:

Deixe uma resposta para Elane Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.