Magé: CRT dificulta cadastro para desconto no pedágio

Moradores reclamam de restrição a documentos

A CRT ilhou Magé com três praças de cobrança de pedágio

Válido desde outubro de 2015 – resultado de um acordo judicial intermediado pela Procuradoria da Prefeitura de Magé – o desconto de 50% no valor total do pedágio cobrado pela Concessionária Rio Teresópolis (CRT) para quem tem carro emplacado naquele município tem ajudado bastante a diminuir as queixas dos moradores da cidade, mas a administradora do trecho da BR-116 sob regime de concessão resolveu agora dificultar o cadastro dos moradores, aceitando como prova de residência apenas contas de luz, água e IPTU em nome do interessado, não reconhecendo como atestado o documento do veículo, conta de telefone celular ou fixo. Como muitos proprietários de veículos moram com os pais, não há como ter conta de água, luz e carnê de IPTU em seus nomes para satisfazer as exigências da concessionária.

O acordo judicial garante isenção total do pagamento aos moradores do entorno da praça principal de cobrança da CRT, beneficiando diretamente os residentes nos bairros Vila Sapê 1 e 2, Parque Estrela 1 e 2, Parque Santo Antônio, Paraíso, Santa Fé, Meia Noite, Vila Recreio e Ponte Preta (até a Rua Mário Facini), comunidades formadas entre o posto de cobrança de pedágio localizada no bairro Bongaba e o Canal Taquara (altura do Km-136,5), e 50% de desconto aos demais.

No acordo a Prefeitura pretendia que todos os moradores dos bairros distantes do entorno tivessem o desconto sem a apresentação de qualquer documento nas cabines de cobrança, pois o benefício seria concedido pela placa do veículo. Depois veio a exigência da apresentação de documentos que comprovassem que o dono do carro emplacado em Magé é mesmo morador do município.

O espaço está aberto para manifestação da Concessionária Rio Teresópolis.

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.