Arco Metropolitano receberá investimentos para reduzir a zero roubo de cargas: falta de policiamento é o maior problema

Durante o evento Governo Presente, realizado na sede da Firjan Baixada na manhã desta terça-feira (2), o governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, o presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano e o presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, assinaram o Memorando de Entendimento do Projeto Arco Seguro, entre a entidade, o Centro Industrial do Rio de Janeiro (CIRJ), Alerj e o Poder Executivo. O Projeto Arco Seguro foi idealizado pela Firjan e prevê a construção de uma parceria público privada para viabilizar o potencial logístico da rodovia, atualmente subutilizada.

Para o presidente da Firjan, a iniciativa tem como objetivo retomar a economia da Baixada Fluminense. Já Ceciliano destacou que 70% dos trabalhadores que moram na região se deslocam para a área metropolitana diariamente. “Essa iniciativa do Arco é muito importante. São 71 km que ligam Caxias ao Porto de Itaguaí. Com ela podemos potencializar ainda mais cidades, como Japeri e Duque de Caxias, mas precisamos reforçar a segurança”, justificou o presidente.

A falta de policiamento também foi apontada pelo gerente geral de Competitividade da Firjan, Luiz Augusto Azevedo, como um dos entraves para a utilização ampla do Arco Metropolitano. “Precisamos que a via tenha segurança 24h. Está previsto que em maio de 2022 isso aconteça, mas o nosso objetivo é disponibilizar uma estrutura de segurança provisória para que ela ocorra imediatamente. Não podemos esperar até 2022. Queremos que o Arco seja semelhante ao rodoanel de SP”, concluiu. A via escoa a produção do Rio e encurta a viagem até São Paulo.

(Com a Assessoria de Comunicação da Alerj)

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.