A reação do deputado Carlos Alberto Lopes

O elizeupires.com recebeu agora a pouco a seguinte mensagem do deputado federal Carlos Alberto Lopes (PMN), falando sobre a matéria “Deputados “brigam” por causa da autoria da Lei Seca”, veiculada na última quarta-feira, obtendo 2.426 acessos únicos em menos de 48 horas.

“Meu caro Elizeu,

Há mais de 5 anos, venho sofrendo com a apropriação indébita do deputado Hugo Leal, eis que, além de dizer que é o autor da Lei Seca (Lei Federal nº 11.705/2008), que não é (como você bem informou, ele foi mero relator), useira e vezeiramente, ao confundir propositadamente a Lei Seca com a Operação Lei Seca, diz que a Lei Seca vem salvando milhares de vidas.

Não requeiro a autoria da Lei Seca. Informo, por verdadeiro, que fui o formulador e o ex-coordenador da política pública Operação Lei Seca, deflagrada em 19 de março de 2009 e que, esta sim, ao longo de mais de 5 anos, vem salvando milhares de vidas.

Por que o deputado em questão não diz a verdade: que a política pública Operação Lei Seca veio dar eficácia a Lei Seca; que as leis se não forem seguidas de políticas públicas tornam-se letras mortas; que são os 300 agentes integrantes dessa política pública que todas as madrugadas vão para as ruas colocar as suas vidas em risco para salvar as de seus semelhantes.
É uma desfaçatez. É apropriação indébita, sim. Esse deputado, que de a muito quer surfar na onda do êxito da nossa política pública, com motivos eleitoreiros, no início da mesma, tentou desacreditá-la, dando uma entrevista no Jornal do Brasil, dizendo que os testes que fazíamos com os etilômetros não eram confiáveis, quando os mesmos eram e são certificados pelo INMETRO, semestralmente.

Um deputado do Rio de Janeiro, por razões que a própria razão desconhece, tentar desqualificar uma política pública que vem salvando milhares de vidas (mais de 20 mil), hoje em 19 estados da federação brasileira, é verdadeiramente, triste, porque é contra a preservação da vida e se arvora em defensor dela.

Tem a coragem de dizer que quer ser reeleito para defender o aperfeiçoamento da legislação para estender a Lei Seca a todo o país, porque sabe que apresentei, em setembro do ano passado, o Projeto de Lei nº 6.205/2013, que institui o PRONARAT – Programa Nacional de Redução de Acidentes de Trânsito, é outra prática que não condiz com a verdade na política na verdadeira acepção da palavra.

Venho sofrendo, sim, porque nas eleições de 2010 e nestas, quando vou as ruas dizer que fui o formulador da Operação Lei Seca, os eleitores me chamam de mentiroso, safado e outros adjetivos.

Apropriação indébita, que não preciso definir para um jornalista como você, é crime.”

Comentários:

  1. Não acho certo o deputado Hugo Leal ficar dizendo que é o autor da lei, mas, convenhamos, lutou muito por ela e tem uma vasta folha de serviços prestados. Quanto ao deputado que o acusa de apropriação indébita não sei nada do que ele tenha feito que não fosse coordenar as operações com “bafômetros” de aferição realmente questionável.

Deixe uma resposta para Maurício Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.