Servidores pedem afastamento do presidente do Legislativo de Casimiro de Abreu e investigação do Ministério Público

Alessandro Pezão pode, inclusive, ser afastado do cargo

Em carta aberta lida em plenário pelo vereador Odino Miranda, os 11 servidores efetivos que exerciam funções gratificadas nas diretorias da Câmara de Casimiro de Abreu, pedem o afastamento do presidente da Casa, Alessandro Macabu Araújo, o Pezão (PSC) e também que as contas do Legislativo sejam investigadas pelos parlamentares e pelo Ministério Público. Os servidores protocolaram o pedido coletivo de exoneração no último dia 8 e resolveram formalizar uma carta aos vereadores, pedindo providências.

“Viemos por meio desta, comunicar aos vereadores, a todos os presentes e a quem mais faça interessar, que os funcionários de cargo efetivo desta casa, por meio de reunião e consenso, comunicam, em decisão histórica, o afastamento de suas funções gratificadas por não concordarem com os fatos ocorridos nas últimas semanas. O Poder Legislativo, com o atual presidente, Sr. Alessandro Macabú Araujo a frente de sua administração, vem constantemente, tomando medidas que não condizem com o histórico ilibado de uma política integra em nosso município.

Mesmo sendo comunicado por diversas vezes e por diversos funcionários, o Sr. presidente insiste em compactuar com o erro e a degradação do histórico desta Casa Legislativa, a qual se ordena democraticamente há mais de 155 anos. Com o maior orçamento de sua história, o Poder Legislativo padece ao descaso, desmandos e sucumbe a fortes indícios do maior problema que afeta hoje o nosso país, a corrupção.

Mesmo com o maior orçamento de sua história (mais de R$ 7 milhões), nossa sede, alugada, está sucateada, nossos salários estão sem o reajuste anual previsto em lei, ha mais de três anos, não há material de trabalho, não há manutenção das máquinas de uso diário, como computadores e copiadoras, o lixo se espalha pelos corredores e os banheiros, quando funcionam, estão fétidos e quebrados, mas a pior de todas as mazelas é a total falta de confiança no presidente.

O gasto de combustível é inexplicável (mais de R$280 mil no último ano) isso com apenas 5 carros funcionando, repasse de parte do salário de funcionários comissionados e efetivos ao presidente desta Casa, a suspeita inequívoca de devolução de dinheiro em troca de notas frias com alguns fornecedores, e a certeza da impossibilidade de mantermos a confiança neste vereador.

Arriscamos nossos nomes, integridade e devolvemos nossos salários por não aceitarmos essa presidência! Este vereador não nos representa e pedimos agora, que após o conhecimento desses graves fatos, que este plenário faça justiça e afaste imediatamente para investigação ou em definitivo, o vereador Alessandro Macabú Araújo da presidência desta honrada casa por, ao nosso ver e provar, não deter os requisitos mínimos de dignidade, honestidade e justiça para o cargo.

Nós funcionários estamos fazendo a nossa parte, cabe agora aos vereadores presentes, independente de situação ou oposição, e ao Ministério Público e a Polícia Federal de fazerem o que esperamos de vocês, Justiça”.

Matéria relacionada:

Debandada na Câmara de Casimiro de Abreu

Comentários:

Deixe uma resposta para Delso Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.