Está escondendo o que, prefeito?

Prefeitura de Magé não disponibiliza boletins oficiais nem dados sobre despesas do governo

Elizeu Pires

Em seu discurso de posse Renato Cozzolino cobrou transparência da Câmara de Vereadores, mas os números de sua gestão não aparecem

Hoje é 3 de janeiro de 2021 e até agora, 15h20, não dá para saber nada sobre os gastos da Prefeitura de Magé nos meses de janeiro e fevereiro, embora, só em repasses constitucionais da União, o município tenha recebido mais de R$ 60 milhões entre de 1º de janeiro e 28 de fevereiro. A falta de transparência – que não se sabe se ocorre por falta de competência ou má-fé – impossibilita o controle social garantido a todo cidadão por força de lei. No caso dos boletins oficiais, a edição 630, com data de 1 a 15 de fevereiro, só foi disponibilizada no site da Prefeitura depois da postagem dessa matéria. Ainda falta a 631, referente a segunda quinzena do mês passado

De acordo com dados do Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação do Banco do Brasil, fora os repasses do governo estadual e das transferências do Fundo Nacional de Saúde, a Prefeitura de Magé recebeu em 59 dias o total R$ 60.866.456,94. Foram R$ 29.605.669,07 em janeiro e R$ 31.260.687,87 no mês passado, o que pode ser conferido aqui.

A gestão do prefeito Renato Cozzolino Harb recebeu até agora R$ 35.212.655,44 do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), R$ 8.640.937,36 de royalties do petróleo, e R$ 15.605.962,56 do Fundo Municipal dos Municípios (FPM). Como não há transparência não dá para saber como em quê os recursos estão sendo gastos.

*O espaço está aberto para manifestação da administração municipal.

*A matéria atualizada às 16h06 para acréscimo de informação.

Comentários:

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.