Magé-Manilha: reinício da obra prometido para os próximos dias

As obras foram iniciadas em agosto do ano passado e paralisadas por falta de pagamento ao consórcio vencedor da licitação

Promessa envolve também a conclusão do Complexo Petroquímico, em Itaboraí

Orçada em R$ 405 milhões, a duplicação da BR-493, no trecho entre os municípios de Magé e Itaboraí, deverão ser reiniciadas em 15 dias. Foi o que o governador Luiz Fernando Pezão informou ao prefeito de Magé, Nestor Vidal, a partir de compromisso assumido pela presidente Dilma Roussef. Esse trecho, segundo o governador, foi a única parte do projeto do Arco Metropolitano (extensão maior da via), que ficou a cargo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão do Ministério dos Transportes, que espera concluí-la até julho de 2017.

As obras começaram em 2014 com atraso de dois anos e parou por falta de pagamento, que é feito diretamente pelo governo federal ao Consórcio Encalso, formado pelas empreiteiras Sobrenco, Concresolo e Ctesa. O contrato foi assinado em julho e os serviços começaram a ser executados em agosto, mas os pagamentos foram suspensos em novembro.

Segundo o governador, além da retomada da duplicação da BR-493, a presidente também garantiu a continuidade das obras do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), orçadas inicialmente em R$ 6 bilhões e agora calculada em R$ 30 bilhões.

 

Matéria relacionada:

Falta de pagamento compromete duplicação da Magé-Manilha

Comentários:

  1. Antes das olimpíadas? Longe das eleições? OREMOS!!!!!

    Esta obra é uma dívida antiga dos governos federal e estadual com Magé e adjacências e graças ao bom Deus, as obras do COMPERJ pararam, pois, imaginem como seria/será a Magé – Manilha com o tráfego de veículos pesados multiplicados por um zilhão.

Deixe uma resposta para BRITO Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.