Delator confirma repasse para o prefeito de Rio das Ostras

Em 2004 Leandro Azevedo e Sabino assinaram o primeiro contrato da Odebrecht com o município

A delação premiada de Leandro Andrade Azevedo (foto) a Força Tarefa da Operação Lava-Jato, que está tirando o sono de muitos políticos fluminenses, afetou em cheio também o prefeito de Rio das Ostras, o agora tucano Alcebíades Sabino dos Santos. De acordo com trechos vazados da delação, Sabino teria recebido repasses ilegais no montante de R$ 195 mil para a campanha eleitoral, dinheiro que teria sido entregue ao secretário de Obras da cidade, Wayner Fajardo, isto para a campanha de 2008, mas também, segundo o relator, Sabino pediu ajuda em 2006, quando foi eleito deputado estadual.

Promovido mais tarde a superintendente da Odebrecht no Rio de Janeiro, Leandro representou a empresa na assinatura do primeiro contrato do grupo com a Prefeitura de Rio das Ostras, firmado em 2004 para a realização de obras de saneamento, no valor de R$ 106.334.548,44. Na delação Leandro afirmou que lhe fora pedido que “alocasse essa despesa (o repasse) na obra de saneamento de Rio das Ostras”.

O contrato das obras de saneamento foi assinado no dia 4 setembro de 2004, resultado da Concorrência Pública 007/2003. O contrato foi assinado, via procuração por Leandro Andrade Azevedo, autorizado no documento a representar Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, em cuja casa a Polícia Federal apreendeu uma lista com mais de 200 nomes de políticos, incluindo Sabino, como recebedores de dinheiro para campanha eleitoral. Barbosa também assinou termo de delação premiada e dele são esperadas declarações sobre contribuições feitas também durante a campanha para as eleições municipais de 2012, quando Sabino voltou a disputar a Prefeitura.

O contrato – que teve um empenho de R$ 14.749.232,35 feito no orçamento de 2004 – foi firmado com a empresa CBPO Engenharia, braço do Grupo Odebrecht e as obras contratadas foram a construção de um emissário submarino com 3.888 metros de tubulação, construção de uma estaco de tratamento de esgoto e elevatórias. Além do hoje delator Leandro Andrade Azevedo, assinaram o documento o Sabino e o então secretário de Serviços Públicos, Paulo Cesar Souza Medeiros.

Sabino nega os fatos e disse que as prestações de contas de suas campanhas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral.

*Matéria atualizada às 19:22 do dia 12 de dezembro de 2016

 

Documento relacionado:

Contrato 262-2004

Envie seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.